Browsing Tag

amadurecimento

Pensamentos

Dentro de mim

3 de junho de 2013

dentro de mim

De repente não quero mais ser eu mesma. Desligar dos meus sentimentos me faria melhor. Muito melhor. Essas noites que passaram foram longas… até demais. Custaram meu sono. Meus pensamentos falavam tão alto que nem o the kooks no volume máximo conseguiram silenciar. Queria o silêncio. Para variar um pouco. Meu coração e minha mente. É tanta coisa e em tão pouco tempo para resolver. Eu penso demais e sinto demais. E nem sei mais responder se essa intensidade que existe aqui dentro é qualidade ou defeito.

Pensamentos

Daqui uns dez anos…

2 de junho de 2013

Daqui uns 10 anos

Daqui uns dez anos… É impossível imaginar o rumo que minha vida tomará e mesmo assim eu ainda tento. Quero descobrir se já vou ter os três filhos que planejo, se já vou estar casada e como ele será. Vou ser uma advogada séria e clássica ou uma socióloga maluca e contestadora? Ou um pouquinho de cada? Como vou ter encontrado meu marido? Sei lá. Será que a gente vai se esbarrar em algum teatro diferente e ser amor a primeira vista? Será meu colega de classe na faculdade? Ou algum amigo que se tornou algo mais? Ele vai ser ruivo, moreno ou loiro? Olhos claros ou escuros? E meus filhos? Vão parecer comigo?

Ano de decisão e vestibular. Mil e uma perguntas e poucas repostas. Ano de vestibular é o ano que sua vida inteira passa pelos seus olhos enquanto o professor de química tenta resolver um exercício que você julga impossível. E justo essa explicação vai cair no ENEM ou na Fuvest. É o ano em que você não sabe o que quer… ou se sabe imagina como será sua vida financeira. Como você vai convencer seus pais a mudar de cidade. De estado. De região. E morar sozinha. Se aventurar em algo totalmente novo e desconhecido. Largar a vidinha mais ou menos da sua cidade para tentar a sorte em uma cidade gigante e cheia de oportunidades. Ou seria uma cidade formigueiro que um membro não faz falta? Sei lá. Ano de vestibular é assim. Se sentir muito velho e muito novo. Tudo ao mesmo tempo. Ser quase adulto e quase adolescente. Época de se sentir estranho.

Pensamentos Textos

Diálogos…

30 de Maio de 2013

dialogos

Ô mente, já tive uma conversa séria com você e parece que não tá adiantando. Alias, cade meu super poder para ir embora para bem longe? É tanta mentira, status e dissimulação que nem sei por onde começar. É tanta gente em volta de mim, conversando comigo e andando comigo e mesmo assim ainda me sinto sozinha. Sozinha de pessoas que compartilhem o mesmo interesse, o mesmo assunto. Sinto falta de ter assuntos de verdades e não manchetes alheias de revistas de fofocas. Sinto que cada vez mais vou me afastando de mim. Dos meus objetivos. Do que eu sou. Me sinto cada dia mais perdida. E o pior: dentro de mim. Não sei mais por onde começar a resolver eles. Tá se acumulando cada vez mais… E eu ando sem força para continuar com as minhas expectativas lá no alto. Já conversamos sobre isso e você continua na mesma, cabeça! Porque? Me ajuda a continuar, vai… Tá difícil.

Pensamentos Textos

Aprendizado

19 de Maio de 2013

Aprendiz

Aprendi muita coisa depois das experiências que vivi. Já amadureci bastante, também. E amadurecer dói, dói muito. Já fui traída por uma amiga que eu considerava próxima. Já quebraram meu coração. Já me esqueceram depois de uma ficada que eu considerava mais que uma ficada. Já sofri bullyng. Já percebi que ás vezes ninguém percebe que você tá triste. E já percebi que as pessoas são muito egoístas. Que ser feliz demais incomoda. Aprendi errando, e acertando também. Principalmente quando aqueles acertos para mim eram com gostinhos de erros… quando meus acertos foram com atitudes que eu não gostaria. Acertei quando queria ter errado, quando percebi intenções de gente má. E também já errei com gostinho de acerto. Quando percebi que olhei com visão pessimista e algo se concretizou da maneira que não imaginava. Vivo dizendo que não gosto de surpresas. Mas me surpreender positivamente é muito bom. O problema é isso acontecer. Quase nunca acontece. E quando esse “quase nunca” se concretiza, a decepção vem junto. Decepcionar… Um dos piores verbos criados pela língua portuguesa. Ou pelo seres humanos. Sei lá. Entender eles é tão difícil. Não consegui ainda nem entender a mim mesma. Vivo por ai, andante, confusa, aprendiz. Da vida.

Textos

Achismo

13 de Abril de 2013

Imagem

Sabe do que eu preciso? De um tempo longe de tudo e de todos. Sei lá. Ando tão sozinha, auto-suficiente que nem me enxergo demais. Já percebeu como o tempo anda tão depressa? E antes dos dezoito. Alias, esses dezoito que não chegam. E quando ele chegar, daqui um ano, não terei vivido nada do que eu planejei. E com dezoito. Tão nova e tão velha. Acho que é crise pós adolescência. Queria tanto que chegasse, e só agora me dou conta que ela já foi. As festas de quinze anos, primeiro porre, paixões pelos meninos mais velhos, fofocas na arquibancada da educação física, msn, orkut, matinês e primeiras experiencias já acabaram. Tudo tão intenso. Tudo com gostinho de ultima musica em um show que a gente espera o ano inteiro. Será que vou sentir saudade dessa correria de vestibular? Da escola, sim… Agora desse estresse, sei lá. Sei lá. Minha cabeça tá assim. Muito achismo, pouca convicção. E mais uma daquelas madrugadas pensantes.

Pensamentos Textos

No meio de tudo

15 de Fevereiro de 2013

'1'

Ando por ai, e no meio do percurso me deparo com uma barreira maior que eu poderia imaginar: Eu mesma. No meio de tudo, justo no meio. No meio de tudo, ou de nada. Não sei dizer. Não tenho pessimismo suficiente para jogar tudo para o alto e desistir, e nem um pingo de otimismo para me ajudar a dar mais um passo. Fico lá. Parada. Sentindo talvez angústia, desespero. Ou talvez a chance de parar por um pouco. Esperando alguns minutos (ou horas, ou dias, ou meses) por uma ajuda que ainda não apareceu, que ainda não estendeu a mão. E em meio a esse tempo de espera um sentimento de alívio surge pela pausa nos pensamentos, justo aqueles que alimentaram meus sonhos mais fantasiosos, minhas razões mais plausíveis, e vontades mais intensas. Pensamentos esses ritmados em uma orquestra monstruosa e descoordenada de pensamentos bombardados pela razão de tudo: O coração.

Textos

Passado

29 de Janeiro de 2013

'textinho

Ela olhava aquela caixa de madeira pequena com lágrimas nos olhos. Procurava ansiosamente um pedaço da sua adolescência em papel branco com linhas azuis, enquanto se deparava com fotos, cartas, colares e pulseiras. Parava por um só instante para tomar um pouco de ar em meio a tanta choradeira e voltava a remexer cuidadosamente (mas afobada) em busca do seu tesouro. Pronto. Lá estava. O bendito. Abria com cuidado o papel amarelado tomando cuidado para não rasgar o que permanecia intacto por quase dez anos.

12/01/2010
Oi… É estranho conversar com um pedaço de papel, principalmente sabendo que só vai ser lido por mim mesma. Talvez no futuro eu dê risada, mas agora me sinto uma idiota por escrever sobre o que eu faço com treze -quase catorze – anos. Conversei com ele hoje e me senti – veja só – uma idiota. Me diz porque uma pessoa que demonstra tanto interesse nunca vem falar comigo, e só eu com ele? Eu queria poder entender, mas toda vez que eu toco no assunto, a resposta é confusa, e me deixa ainda mais… apaixonada. Sim, eu sei que não deveria, mas gostar de um garoto mais velho me deixa assim. Eu prometo para mim mesma esquecer mas toda vez que a janela do msn pisca meu coração se derrete… e junto com ele minha inteligência de participar dos joguinhos. Ele pisa em mim e ainda quero mais.

Queria poder pensar o final dessa história, mas até hoje não sei. Depois conto o final dessa história. Mas posso adiantar que não termina bem, e desde então nunca mais vi o dito cujo.