Browsing Tag

tudo

Viagens

Eurotrip – Florença

24 de Fevereiro de 2013

➪ Sobre a cidade

irfeikpokpkpokeopkeop[

Capital da Toscana, essa cidade tirou suspiros de mim. 371 habitantes, parece ser bem pequeninha, estilo aquelas que vemos em filme. Berço do renascentismo, qualquer esquina tem algo para te provar o quão importante ela é. Sem sombra de duvidas uma das cidades que eu mais amei. Ficamos três dias, então não conhecemos tuuuudinho. Recomendo ficar uns quatro dias, ou mais. O engraçado, que ela atrai o publico que gosta de museu, e de compras, porque ao redor é cheio de outlets! Ela já foi considerada capital da moda! Tornou-se célebre, também, por ser a cidade natal de Dante Alighieri, autor da “Divina Comédia”, que é um marco da literatura universal e a língua italiana moderna tem várias influências desta obra. Nesse poema ele descreve a cidade de Florença em muitas passagens, assim como alguns de seus contemporâneos florentinos célebres.



 ➪ Sobre o turismo

explorer-find-girl-map-Favim.com-487428

Para evitar alguns traumas: Você não vai conhecer tudo que planejou. Demora muito! Ah, ande sempre a pé. É uma dó perder uma esquina, ou algum morador típico andando por ai. Leve sempre um mapa, e aproveite a cidade mais artística de todas!

 Santa Maria del Fiore

1

História:  O DUOMO é a Catedral de Florença, dedicada à Santa Maria das Flores e construída em estilo gótico italiano. O edifício foi projetado por Arnolfo di Cambio (1245-1302) e representa uma das maiores esculturas arquitetônicas da época. Foi concluída em 1367 aproximadamente, totalmente coberta com mármores coloridos, assim como era o Batistério, embora a fachada tenha permanecido incompleta até o século XIX. No interior da igreja estão várias obras de arte importantes, caracterizadas pelas formas arquitetônicas góticas, completamente diferentes dos edifícios medievais do norte dos Alpes. De primordial importância são os afrescos do lado esquerdo, onde estão monumentos equestre do “Condottiero” de Paolo Uccello (1436) e Andrea del Castagno (1456). Muitas das estátuas estão agora no Museu da Catedral, mas outros ainda estão dentro da igreja, como as lunetas de Luca della Robbia, as portas de bronze do altar e a famosaPietà de Michelangelo. Não se esqueça de olhar para os belos vitrais, construídos entre 1434 e 1445, desenhados por artistas importantes, tais como Donatello, Andrea del Castagno e Paolo Uccello. Outra coisa digna de atenção são as incrustações de madeira dos armários da sacristia projetados por Brunelleschi, Antonio del Pollaiuolo e outros artistas. Filippo Brunelleschi começou a construção da CÚPULA em 1420. O diâmetro da parte mais larga é de 41,50m – valor muito próximo ao máximo permitido para qualquer tipo de cúpula. Em vez de usar técnicas anteriores, Brunelleschi inventou uma técnica baseada em seu conhecimento sobre o modo de construção de edifícios romanos, que colocou a serviço de um novo conceito que levava em conta problemas técnicos, culturais e estéticos na construção da cúpula.Basicamente, a edificação da cúpula dependia do uso de competências técnicas, a fim de evitar qualquer descontinuidade perigosa na alvenaria (que pesa 27.000 toneladas). Foi construída de modo que se sustentase sozinha.A cúpula é surpreendentemente moderna: em concha dupla, a parte exterior protege a interior de agentes atmosféricos. Concluído em 1436, o Domo é o edifício mais famoso de Florença, simbolizando uma grande tradição cultural e consciência cívica da cidade. A Cúpula foi pintada por Giorgio Vasari (1511-1574) e Federico Zuccaro (c. 1540-1609) com um afresco representando o Juízo Final.

Minha opinião: Uma das igrejas mais lindas que eu já conheci… Como a igreja fica beeeeem no centro mesmo, é muito gostoso caminhar por ali e ver todos os encantos e detalhes! Mas, preste bem atenção antes para não cometer o mesmo erro que o meu: Os horários malucos. Fomos tentar conhecer no domingo a igreja e é fechada. Então tivemos que falar que iriamos assistir a missa. Então acabei conhecendo a cúpula mais famosa do mundo rápido.

 Battistero 

3

História: Batistério de São João é um prédio religioso em Florença, na Toscana, Itália. Acredita-se que é o mais antigo prédio da cidade e é famoso por suas magníficas portas de bronze. Fica na Piazza del Duomo, a oeste da Santa Maria del Fiore.Por um longo tempo acreditou-se que o batistério era, na verdade, um templo romano dedicado a Marte. Menciona-se que Dante Alighieri tenha sido o criador dessa lenda. Contudo, essa era uma idéia errônea. Escavações no século XX mostraram que o Batistério era uma torre de guarda, parte de uma muralha que protegia a cidade. A construção mais próxima à atual foi feita e consagrada em 1059 pelo Papa Nicolau II. Os mármores foram trazidos de Fiesole. Uma lanterna octogonal foi adicionada ao teto do pavilhão em 1150. Nos séculos XIV e XVI três portas de bronze foram adicionadas. O batistério é uma construção octogonal que simboliza o oitavo dia (octava dies), o tempo da Ascensão de Cristo. Simbolizava a vida eterna, que é dada pelo batismo. O estilo da igreja serviu como protótipo para a construção, por Leone Battista Alberti, de outras igrejas românicas na Toscana. O exterior é decorado por estátuas de Andrea Sansovino, Giovan Francesco Rustici eVincenzo Danti. Em 1329, Andrea Pisano, recomendado por Giotto, recebeu a encomenda de projetar as primeiras portas (Portas Sul). A execução durou seis anos e foi finalizada em 1336. Consistem em 28 painéis quadrangulares, representando cenas da vida de São João Batista e as virtudes. Os relevos foram adicionados por Lorenzo Ghiberti em 1452. Vincenzo Danti criou as estátuas acima das portas em 1571. Em 1401, uma competição foi anunciada para a execução das Portas Norte do Batistério. Competiram sete escultores, entre eles Lorenzo Ghiberti, Filippo Brunelleschi, Donatello e Jacopo della Quercia. Ghiberti, então com 21 anos, ganhou a encomenda. Brunelleschi ficou tão desiludido com a perda da encomenda que partiu para Roma para estudar arquitetura e nunca mais esculpiu. Ghiberti levou 21 anos para finalizar as portas. São novamente 28 painéis, agora com cenas do Novo Testamento. Antonio Paolucci as descreveu como o mais importante evento da história da arte de Florença no primeiro quarto do século XV. As estátuas de bronze acima das portas norte foram feitas por Francesco Rustici, com assistência de Leonardo da Vinci. Ghiberti tornou-se então uma celebridade e o artista máximo em seu campo. Em 1425 recebeu uma segunda encomenda: as Portas Leste, que ele executou com a ajuda de Michelozzo eBenozzo Gozzoli. São dez painéis com cenas do Velho Testamento e que utilizaram a nova técnica da perspectiva para que os painéis adquirissem profundidade. Michelangelo se referiu a essas portas como As Portas do Paraíso, nome que permanece até hoje. A obra tem 5,20 metros de altura por 3,10 de largura e 11 centímetros de espessura. A porta do paraíso foi colocada em local seguro em 1943, durante a II Guerra Mundial, e mais tarde danificada pela grande inundação de 1966. As portas agora no Batistério são cópias das originais que foram removidas em 1990 porque estavam entrando em estado de deterioração. As portas originais estão no Museo dell’Opera del Duomo, preservadas em contêiners cheios de nitrogênio. No topo das Portas do Paraíso está um grupo de estátuas que reproduzem O Batismo de Cristo, por Andrea Sansovino, e que foram finalizadas por Vincenzo Danti e Innocenzo Spinazzi.

Minha opinião: Outro lugar fantástico. E o que não é Florença, hein? A porta é coisa de outro mundo!

♥ Piazza della Signoria

2

História: Piazza della Signoria é a praça central de Florença, sede do poder civil com o Palazzo Vecchio e o coração da vida social da cidade. Em forma de L, encontra-se na parte central da Florença meridional, ao sul do Duomo e a poucas dezenas de metros da Ponte Vecchio e do rio Arno.

Minha opinião: É uma das praças mais gigantes que eu já vi. Em Florença tem praças que mais parece rua, e não com aquele formatinho de praça normal… ela tem a mesma altura da rua. Mas o mais legal é que nessas praças são cheeeio de restaurantes super badalados.

Palazzio Vecchio

4

História: é o edifício público mais importante de Florença. O prédio, projetado por Arnolfo di Cambio, começou a ser construído em 1299 e a princípio era a sede dos Priores das Artes e da Signoria. Durante um tempo foi a residência da família grão-ducal de Cosme I de Médici antes de sua transferência para o Palazzo Pitti. Foi durante este período (1150-1165) que Vasari o reformou, decorando suntuosamente o interior do edifício a fim de adequá-lo ao papel que assumia, de sede do Governo e residência oficial da família real.  Atualmente o palácio é um na parte conhecida como Apartamentos Monumentais. De grande valor histórico, o palácio é composto pelo Salão dos 500, o estúdio de Francisco I de Médici, a sala dos Elementos e a Sala dei Gigli. A Loggia dei Lanzi, com vista para a grande Piazza della Signoria, que está em frente ao palácio e abriga várias estátuas importantes, incluindo “Perseu”, de Cellini e “O rapto da Sabina”, de Giambologna.

Minha opinião: Não conheci, porque os horários não coincidiram meeeesmo! Uma desculpa para voltar para essa cidade.

 Galleria Degli Uffizi

5

História: é um palácio que abriga um dos mais famosos museus do mundo.  Em português Galeria dos Ofícios é um dos museus mais bonitos da Itália e do mundo inteiro. Os ofícios foram destinados aos escritórios da poderosa família Médici. Desde o início, no entanto, os Médicis reservaram algumas salas para as obras de suas coleções de arte. Hoje, o Uffizi contém obras de arte de artistas italianos e estrangeiros do século XIII ao XVIII, como Cimabue, Giotto, Masaccio, Beato Angelico, Leonardo da Vinci, Botticelli, Michelangelo, Piero della Francesca, Raffaelllo, Caravaggio, così come Rubens, Rembrandt, Dürer, Goya e muitos outros. O Corredor de Vasari, que liga a Uffizi com o Palácio Pitti, abriga uma rica coleção de retratos de artistas do passado e do presente. Construído por Vasari em 1565, passa por cima da Ponte Vecchio (que é de fato a ponte mais antiga da cidade), com suas muitas joalherias.

Minha opinião: O lugar é gigante e exala arte para qualquer lugar que você olhar. Acho que vale a pena conhecer com um guia, apesar de mais caro você irá entender todos os quadros, movimentos e as diferenças de cada um. É muito surreal ver de pertinho obras de Da Vinci, Michelangelo e parar um pouquinho e ver todos ficarem fascinados igual. Como visitamos no inverno quase não havia gente… Dizem que no verão aquilo ferve!

♥ Basilica De San Lorenzo e Capelle Medicee

História: A Basílica de São Lourenço (em italiano Basilica di San Lorenzo) é uma igreja do início do Renascimento, concebida por um dos maiores arquitectos desta época, Filippo Brunelleschi, sobre uma pequena igreja fundada por Santo Ambrósiono ano de 393. As obras foram iniciadas em 1419, com o patrocínio de Cosme, o Velho, Médici, e foram terminadas em 1460 por Antonio Manetti, que respeitou fielmente o plano inicial. Está integrada no centro histórico de Florença, local classificado Património Mundial pela UNESCO, juntamente com a catedral e os palácios Médici-Riccardi, Pitti e Uffizi.

Minha opinião: Não conheci também.

 Piazzale Michelangelo

7

História: Foi desenhada por Giuseppe Poggi, durante a renovação pela qual passou Florença, enquanto era a capital da Itália.

Minha opinião: PARA TUDO. É TIPO: a melhor vista de tooooooooooda Florença, e arrisco a dizer do mundo. O lugar é tão tão mágico, e acreditem se quiser: foi o ultimo lugar que visitamos antes de pegarmos um trem para ir para Milão!

 Galleria dell’Accademia

8

História: A Galeria da Academia foi fundada juntamente com a Academia de Belas Artes (Accademia di Belle Arti) em 1784 pelo então Grão-Duque da Toscana Pedro Leopoldo. O propósito da criação da Academia era estabelecer um centro de ensino de arte que agrupasse outras escolas existentes, como a já famosa Academia das Artes do Desenho (Accademia delle Arti del Disegno), tendo como sedes o Hospital de São Mateus e o Convento de São Nicolau de Cafaggio. A Galeria da Academia foi fundada, assim, para proporcionar aos estudantes acesso a um grupo seleto de obras de arte que serviriam como estímulo e exemplo para estudo e desenvolvimento dos futuros artistas. Na época de sua fundação a Galeria contava já com obras importantes como o modelo em gesso da escultura O Rapto da Sabina de Giambologna, e logo passou a ser enriquecida com pinturas removidas de igrejas e conventos extintos pelo Grão-Duque no final do século XVIII e depois por Napoleão em 1810. Em 1873 trasladou-se o David de Michelangelo de sua posição original na Piazza della Signoria para dentro de um espaço especial da sede da Galeria, seguindo-se uma reorganização do material em acervo, passando algumas pinturas antigas para outros museus da cidade e obras mais recentes para o museu do Palácio Pitti. Por outro lado continuaram as aquisições, sendo dignas de nota as de outras peças de Michelangelo, como a estátua de São Mateus em 1906, e as quatro esculturas dos Cativos, anteriormente nos Jardins de Boboli no Palácio Pitti. Em anos recentes tem sido buscada uma reaproximação do elo original com a Academia de Belas Artes, organizando-se exposições de obras de artistas intimamente ligados à instituição, e abriu-se espaço para a instalação em suas dependências do Museu de Instrumentos Musicais, com um rico acervo que pertencia ao Conservatório Luigi Cherubini, uma ramificação da Academia criado da mesma forma que a Galeria. Também há pouco tempo foram remodelados alguns espaços de exposição e ampliada a coleção de pinturas com fundos de ouro dos séculos XIII ao XV, incluindo grandes polípticos e peças de altar que antes não podiam ser exibidas.

Minha opinião: Acho que todos os fascinados por arte vão querer me matar agora, mas: depois que eu vi a obra de Davi, de Michelangelo eu já queria ir embora, porque é o tipo de coisa que depois que você conhece, o resto perde a graça. A beleza daquela estátua não tem como descrever. Ficamos sentados uns trinta minutos analisando cada detalhe, e quando saímos tivemos a certeza que ainda tinha mais.

 Santa Croce

9

História: Basílica de Santa Cruz (em italiano Basilica di Santa Croce) é a principal igreja franciscana em Florença, na Itália, e uma das principais basílicas da Igreja Católica no mundo. Está situada na Piazza di Santa Croce, a lesta da basílica de Santa Maria del Fiore. É o lugar onde estão enterrados alguns dos mais ilustres italianos, tais como Michelângelo, Galileo Galilei, Maquiavel e Rossini, e assim é apelidada de Panteão das Glórias Italianas. A lenda diz que a igreja foi fundada pelo próprio São Francisco de Assis. A atual igreja foi iniciada em 1294, possivelmente por Arnolfo di Cambio e foi bancada por algumas das famílias mais ricas da cidade. Foi consagrada em 1442 pelo papa Eugênio IV. A vasta estrutura é a maior igreja franciscana do mundo. Suas características mais marcantes são as 16 capelas, muitas delas decoradas com afrescos de Giotto e seus alunos e os monumentos funerários. O campanário foi construído em 1842. No Primo Chiostro, o principal claustro, encontra-se a Capela Pazzi, construída como uma sala capitular entre 1442 e 1446 e finalmente completada em 1470. Filippo Brunelleschi esteve envolvido em seu projeto. O Museo dell’Opera di Santa Croce está localizado basicamente no refeitório, fora do claustro. Um monumento a Florence Nightingale está no claustro, na cidade onde ela nasceu e da qual recebeu o nome. Hoje, o antigo dormitório dos frades franciscanos abriga a Scuola del Cuoio (Escola do Couro). Os visitantes podem ver os artesãos criando carteiras, bolsas e outros objetos que são vendidos na loja adjacente.

Minha opinião: Quase chorei quando parei no tumulo de Michelangelo. Podem me zuar…! Eu conheci a igreja exatamente para ver o túmulo deles, e entender a magia que é saber que um dos principais nomes artísticos tá bem na sua frente! Tem uma capela no interior, que conforme o guia nos disse, tem uma história peculiar porque retrata no céu um “objeto não identificado”… Louco né?

 Ponte Vecchio

10

História: Ponte Vecchio (Ponte Velha) é uma Ponte em arco medieval sobre o Rio Arno, em Florença, na Itália, famosa por ter uma quantidade de lojas (principalmente ourivesarias e joalharias) ao longo de todo o tabuleiro. Acredita-se que tenha sido construída ainda na Roma Antiga e era feita originalmente de madeira. Foi destruída pelas cheias de 1333 e reconstruída em 1345, com projecto da autoria de Taddeo Gaddi. Consiste em três arcos, o maior deles com 30 metros de diâmetro. Desde sempre alberga lojas e mercadores, que mostravam as mercadorias sobre bancas, sempre com a autorização do Bargello, a autoridade municipal de então. Diz-se que a palavra bancarrota teve ali origem. Quando um mercador não conseguia pagar as dívidas, a mesa (banco) era quebrada (rotto) pelos soldados. Essa prática era chamada bancorotto. Durante a Segunda Guerra Mundial, a ponte não foi danificada pelos alemães. Acredita-se que tenha sido uma ordem direta de Hitler. Ao longo da ponte, há vários cadeados, especialmente no gradeamento em torno da estátua de Benvenuto Cellini. O facto é ligado à antiga ideia do amor e dos amantes: ao trancar o cadeado e lançar a chave ao rio, os amantes tornavam-se eternamente ligados. Graças a essa tradição e ao turismo desenfreado, milhares de cadeados tinham de ser removidos com frequência, estragando a estrutura da ponte. Devido a isso, o município estipulou uma multa de 50 euros para quem for apanhado, em flagrante, a colocar cadeados na ponte.

Minha opinião: A mais charmosa e queridinha do mundo.

♥ Palazzo Pitti

11

História: Palácio Pitti É um grande palácio renascentista de Florença. Está situado na margem direita do rio Arno, a muito pouca distância da Ponte Vecchio. O aspecto actual do palácio data do século XVII, tendo sido originariamente (1458) projectado por Filippo Brunelleschi, ou pelo seu aprendiz Luca Fancelli, como residência urbana de Luca Pitti, um banqueiro florentino. Foi comprado em 1539 pela Família Médici, para servir de residência oficial dos Grandes Duques da Toscânia. Já alojou importantíssimas famílias para além dos Médici, como os Lorena, os Bourbon, os Bonaparte e os Saboia. Agressivo e robusto este palácio criou um novo estilo palaciano renascentista. O Palácio Pitti, como protótipo do estilo palaciano renascentista, prescinde, evidentemente, da torre defensiva, típica nas casas senhoriais daIdade Média. Para proteger a mansão, Brunelleschi inspira-se na arquitectura romana, recorrendo a paredes muito grossas e a janelas pequenas e muito elevadas. Deste modo, Brunelleschi cria um palácio robusto, moderno e agressivo. O pátio do palácio, projectado por Ammannati, é um exemplo da arquitectura maneirista florentina. Na decoração dos muros, Ammannati recria um esquema clássico, com colunas, no estilo dórico, jónico ecoríntio, e arcos que se sucedem, criando um efeito óptico do qual, a parede, parece sobressaír. Foi ampliado consideravelmente no século XVI (de 1557 a 1566) por Bartolomeo Ammannati que, a mando de Dona Leonor de Toledo, esposa do conde Cosmo de Médici, converteu um palácio inacabado num complexo palácio dividido em três alas. Porém, na primeira metade do século XVII, Giulio e Afonso Parigi encarregaram-se de ampliar o palácio novamente, mas desta feita, somente na parte frontal. Esta foi também a última ampliação do palácio. No século XIX, o palácio foi usado como base militar por Napoleão Bonaparte, e de seguida serviu por um curto período de tempo como residência oficial dos reis da Itália. No início do século XX, o Palácio Pitti, juntamente com o seu conteúdo, foi doado ao povo italiano por Vítor Emanuel III; por esse motivo, as suas portas foram abertas ao público e converteu-se numa das maiores galerias de arte de Florença. Hoje em dia, mantém-se como museu público, mas as suas colecções iniciais foram ampliadas.

Minha opinião: Fomos lá para conhecer tudo e não conhecemos nada. Pois é! Andamos muuuuito mesmo no jardim, e é uma gracinha. A vista é linda!

  Porcellino 

12

História: É fonte de bronze de um javali. A figura foi esculpida fonte e emitidos por barroco Pietro Tacca (1577 -1640), pouco antes de 1634.

Minha opinião: Reza a lenda que se você colocar uma moeda na boca do javali, com a intenção de deixá-la cair através da grade vai te dar sorte, e que esfregar o focinho do javali para garantir um retorno a Firenze. Nem preciso fiz isso né? O legal que as moedas que caem lá são doadas para a caridade. 



➪ Sobre a culinária

tumblr_l67oa07qhz1qzl7pko1_500

Come-se muuuuuuito bem em Florença (assim como o resto da Itália, né?) e barato! A bisteca Fiorentina é o prato típico da região, e consiste em um corte do filé bovino, essa parte é bem espessa e contém osso. O nome desse filé provém da antiga tradição florentina de celebrar a festa de São Lourenço. A comemoração era patrocinada pela Família Médici no dia 10 de agosto de cada ano, quando a cidade ficava toda iluminada e carne bovina era servida em grande quantidade a toda a população.

♥ Alle Murate

GPT-ITXX0281 - © - FORGET-GAUTIER

Não fui nele, mas recomendo pelo ambiente e não pela comida. Infelizmente chegamos para jantar muito cedo e não estava aberto. Desistimos e fomos comer pizza express. Via del Proconsolo, 16R

 

 Trattoria Marione

'2

Melhor restaurante do mundo! Uma delicia mesmo… Bem aqueles restaurantes típicos, cheio de italianos (o que é um bom sinal), e a comida de comer ajoelhado. O ambiente é uma gracinha, o espaço de cima é super pequeninho, e só no final eu descobri que tem um subterrâneo gigante. Via della Spada, 27  50123 

 Trattoria ZàZà

saswoiepo

Ele é meio turístico, mas a comida é muito boa! O ambiente é super descontraído e geralmente tá lotado! Eles demoram um pouco para levar seu pedido, o que é ótimo para dar tempo de conversar bastante. O problema são as mesas: muito apertadas. Piazza del Mercato Centrale, 26

 

 

➪ Sobre as compras

tumblr_lw39psWCzB1qkrezr

 

♥ Mercato del Porcellino

'JDIOJSAOJOI

Sim, o Porcellino que eu disse ali em cima, tem um mercado com o seu nome! E é cheio de bugigangas, bolsas de couro legítimas, e algumas peças de roupa! Aberto de 2ª à 6ª das 10 às 19h – Lorenzo e arredores

♥ Fidenza Village Outlet Shopping

fidenza

Tem Bikkembergs, D&G,  Puma, Acquafredda, Camper, Frette, Gerry, Saldarini, Versace a preços camaradas <3

Bem, é isso! To adorando compartilhar minha viagem… As fotos tiradas por mim saem na quarta! 

 

Viagens

Eurotrip – Roma

17 de Fevereiro de 2013

➪ Sobre a cidade
tumblr_m51rspDK731r42r3ho1_1280

Roma com absoluta certeza foi uma das cidades que eu mais adorei conhecer! É surreal conhecer de perto um dos maiores cartões postais do mundo, e ver que a fama de “cidade eterna” é mesmo verdadeira. O mais charmoso de Roma, que a cada esquina, rua tem algo interessante para ver: Seja uma fonte do século V, seja um monumento, ou as ruazinhas charmosas de pedra com os habitantes locais passando. Tudo é muito charmoso… Quer babar? Váárias ruas tem pé de laranja, então imagine a visão, né? Surreal.



➪ Sobre o turismo

capa turismo

Quer a dica mais valiosa do mundo? Nunca conheça a Itália de carro, ou ônibus. Você está perdendo a chance de conhecer algo charmoso e que quase ninguém conhece. Além de interagir com a cultura deles, e ver muitos gringos conversando algo engraçado. Achava uma delicia andar e reparar nas manias, como os italianos são expressivos e nos estilos de quem andava. Imagina se não fiquei inspirada, né?

 ♥ Coliseu

coliseu

 Historia: Construído por ordem do imperador Vespasiano e concluído, durante o governo de seu filho Tito, é um dos mais grandiosos monumentos da Roma Antiga. A parede externa do anfiteatro preserva os quatro pavimentos da estrutura de concreto armado; nas três arquibancadas inferiores estão as fileiras de arcos, e na quarta, pequenas janelas retangulares. Os assentos eram de mármore e a escadaria ou arquibancada dividia-se em três partes, correspondentes às diferentes classes sociais: o podium, para as classes altas; a meaniana, setor destinado à classe média; e os pórticos, para a plebe e as mulheres. A tribuna imperial ficava no podium e era ladeada pelos assentos reservados aos senadores e magistrados. Por cima dos muros ainda se podem ver as bases de sustentação da grade de cobertura de lona destinada a proteger do sol os espectadores. Para evitar problemas nas saídas dos espetáculos, os arquitetos projetaram oitenta escadarias de saída. Em menos de três minutos, o Coliseu podia ser totalmente evacuado. Suas arquibancadas tinham capacidade para 80 mil pessoas. O Coliseu de Roma foi construído sobre o lago da casa de Nero, a Domus Áurea e ficou conhecido como Colosseo (Coliseu) porque ali foi achada a estátua gigante (colosso) do imperador. Conta a história que os gladiadores lutavam na arena e que o Coliseu, era o lugar onde os cristãos eram lançados aos leões. Para a inauguração, apenas oito anos depois do início das obras, em 80 d.C., as festas e jogos duraram cem dias, durante os quais morreram 9 mil animais e 2 mil gladiadores. As atividades do Coliseu foram encerradas em 523 d.C., mas o espaço permanece carregado de uma clima misterioso e símbolo do Império Romano e da cidade eterna. Devido à sua história milenar, são associados vários símbolos a Roma: o Coliseu, a Lupa Capitolina , os símbolos do cristianismo, e o famoso acrônimo S.P.Q.R., utilizado durante a expansão imperial para designar as terras como sendo d’ O Senado e (d)o Povo Romano.As cores da cidade são o dourado e vermelho, representando, respectivamente, o cristianismo e o Império Romano.

Minha opinião: Quase chorei quando vi aquela construção na minha frente. É tudo tão perfeito, e a datado tão antigo que é surreal pensar que as pessoas sem computador, ou máquinas conseguiram erguer algo daquele tamanho, e que por mais que esteja “inteiro” ainda sobreviveu. A vista de uma das varandas do Coliseu para as ruínas do fórum romano é de arrepiar mesmo. Qualquer foto fica boa com essa paisagem né?

♥ Fontana Di Trevi

trevi

 História: Antigamente, era habitual construir uma fonte onde os aquedutos terminavam, como é o caso da Fontana di Trevi, que marca o final do Aqua Virgo, um aqueduto de grande valor simbólico. Na Fontana di Trevi você também poderá ver a magnífica estátua do deus Netuno, representado sobre um carro em forma de concha puxado por dois cavalos-marinho. No ano 19A.C supostamente ajudados por uma virgem, técnicos romanos localizaram uma fonte de água pura a pouco mais de 22 quilômetros da cidade (cena representada em escultura na própria fonte, atualmente). A água desta fonte foi levada pelo menor aqueduto de Roma, diretamente para os banheiros de Marco Vipsânio Agripa e serviu a cidade por mais de 400 anos. “golpe de misericórdia” desferido pelos invasores godos em Roma foi dado com a destruição dos aquedutos, durante as Guerras Góticas. Os romanos durante a Idade Média tinham de abastecer-se da água de poços poluídos, e da pouco límpida água do rio Tibre, que também recebia os esgotos da cidade.O antigo costume romano de erguer uma bela fonte ao final de um aqueduto que conduzia a água para a cidade foi reavivado no século XV, com o Renascimento. Em 1453, o Papa Nicolau V, determinou que fosse consertado o aqueduto de Acqua Vergine, construindo ao seu final um simples receptáculo para receber a água, num projeto feito pelo arquiteto humanista Leon Battista Alberti.

Minha opinião: Quem não se lembra da Fontana di Trevi nos filmes mais legais sobre Roma? Mesmo lotada de turistas (é difícil tirar uma foto) a imagem é linda. Joguei minha moeda na fonte para que eu volte para essa terra perfeita. Fomos enquanto estava escurecendo e o friozinho estava começando aparecer, imagina se não fiquei arrepiada com o momento?! Surreal.

 Piazza de San Pedro

Piazza São Pedro

 História: Foi desenhada por Bernini no século XVII em estilo clássico mas com adições do barroco. Ergue-se um obelisco doAntigo Egipto no centro.O obelisco central tem 40 metros de altura, incluindo a base e a cruz no topo. Data do século I d.C. e foi trazido para Roma no reinado do imperador Calígula. Está no lugar actual desde 1585 sob ordem do Papa Sisto V, que colocou no obelisco um dos pedaços originais da cruz de Jesus Cristo. Bernini complementou a colocação do obelisco com uma fonte em 1675. Foi preciso mais de novecentos homens para erguê-lo.

Minha opinião: A praça é gigaaaaaaaante! E ver a basílica de São Pedro de pertinho e lembrar do papa é coisa de outro mundo. Aproveite e compre um terço que é abençoado pelo papa. Muito amor!

 Forum Romano

forum romano

 História: O vale do Fórum entre as sete colinas de Roma, originalmente era um pântano. Com a drenagem do terreno, foi criado o Fórum Romano, que desde o sétimo século a.C foi o centro da vida pública romana por mais de um milênio. Ao longo dos séculos, vários monumentos foram construídos. Primeiro os edifícios destinados às atividades políticas, religiosas e comerciais, em seguida, durante o segundo século a.C. às basílicas civis, onde se desenvolviam as atividades judiciárias. No final da era republicana, o antigo Fórum Romano tinha se tornado insuficiente e inadequado para servir como um centro administrativo e de representação da cidade. As várias dinastias de imperadores adicionaram apenas monumentos de prestígio: o Templo de Vespasiano e Tito e aquele de Antonino Pio e Faustina dedicados à memória dos imperadores deificados; o Arco monumental de Septímio Severo, construído na extremidade ocidental da praça em 203 d.C para comemorar as vitórias do imperador sobre a população de Parti. O último principal intervento, foi construído pelo imperador Massencio no início do quarto século d.C. Massencio foi responsável pela construção de um templo dedicado à memória de seu filho Romulo e pela imponente Basílica em Velia, que foi reestruturada no final do quarto século. O último monumento construído no Fórum, foi a coluna erguida em honra do imperador bizantino Focas, em 608 d.C. Você pode visitar as ruínas do Fórum Romano e ver vários templos que ainda se mantêm em pé, tais como o de Castor e Pólux, o de Júpiter ou o deRômulo. Nessas ruínas, você também poderá ver vários arcos, uma basílica, a antiga sede do Senado Romanoe a Rostra (Tribuna), de onde os políticos da época proferiam seus discursos para as multidões. Além disso, a Via Sacra, uma das principais ruas de Roma, cruza o fórum de ponta a ponta. Faça uma viagem no tempo visitando esta grande obra de engenharia da Roma Antiga.

Minha opinião: Confesso que dá uma tristeza em ver só as ruínas do fórum romano. Sim, eu sei, é muuuuito antigo, mas perceber que só restaram aquilo de uma cultura fascinante, e que muitas coisas importantes se perderam no caminho é de cortar o coração.

 Museu Do Vaticano

capela sistina

História: Somente ao longo do Renascimento, quando surgiu um renovado interesse pela arte e cultura clássicas da Antiguidade, e os grandes aristocratas começaram a formar importantes coleções privadas de relíquias arqueológicas e objetos de arte antigos, é que a ideia moderna de museu começou a se formar. Acompanhando essa tendência, em 1503 o Papa criou no Vaticano, o Pátio do Belvedere, construído por Bramante, para receber parte de sua coleção pessoal e de algumas obras antigas importantes que haviam sido recentemente descobertas em escavações e adquiridas pela Igreja, como o Apolo Belvedere. Entretanto, no período da Contra-Reforma, o papa Pio V dissolveu a coleção reunida por Júlio, preservando apenas as peças que não possuíam ligações com a Antiguidade pagã, e as outras foram transferidas para o Antiquarium do Capitólio, que mais tarde deu origem aos Museus Capitolinos, ou foram incorporadas a coleções privadas da nobreza italiana, e o interesse pelo colecionismo só voltou a aparecer entre os papas no início do século XVIII m a invasão de Roma em 1798 por Napoleão Bonaparte muitas das obras recolhidas foram confiscadas e levadas a Paris, entre elas o Apolo Belvedere e o Laocoonte, desfalcando seriamente o acervo papal. Pio VII procurou compensar as perdas adquirindo grande quantidade de outras peças, proibiu a saída de antiguidades dos Estados Pontifícios, fundou o Museu Chiaramonti, construiu o Braccio Nouvo e a Galeria Lapidaria para lápidese epígrafes antigas, e indicou o escultor Antonio Canova como Inspetor-Geral de Antiguidades e Belas Artes, que conseguiu em 1816 trazer de volta para Roma parte do espólio tomado por Napoleão No século XX, o interesse aquisitivo se diversificou, foram criados museus etnológicos, históricos e de arte moderna, e as coleções começaram a ser reorganizadas de acordo com critérios museológicos mais aprimorados. Pio X estabeleceu em1910 o Lapidário Hebreu, com inscrições de antigos cemitérios judeuss de Roma doadas pelos marqueses de Pellegrini-Quarantotti. No itinerário dos Museus Vaticanos estão incluídos Salas de Rafael, As Salas (ou Stanze) de Rafael são um grupo de quatro aposentos decorados entre 1508 e 1524 pelo grande pintor renascentista e seus auxiliares, a pedido do Papa Júlio II. A Capela Sistina é uma capela do Palácio Apostólico, residência oficial do papa. Foi erguida entre 1475 e 1483, durante o pontificado de Sisto IV. De arquitetura despretensiosa, a capela é, contudo, um relicário para um mundialmente famoso conjunto de afrescos, executados por Michelangelo no teto e na parede do altar, e mestres como Perugino, Botticelli, Ghirlandaio, Signorelli, Pinturicchio, Piero di Cosimo e outros mais nas paredes laterais, representando diversas cenas bíblicas. A cena do Juízo Final, de Michelangelo, é um dos maiores marcos da arte maneirista e de toda a pintura ocidental. Galeria dos Candelabros foi construída em 1761, era antigamente uma galeria aberta, que foi fechada no final do século e recebeu decoração de afrescos no século XIX. Ali se expõem finas obras de estatuária romana da época helenística, mosaicos e uma série de grandes candelabros vindos de Otricoli. Galeria dos Mapas Com uma série de 40 mapas monumentais pintados em afresco nas paredes, realizados a partir de desenhos de Ignazio Danti, representando as possessões da Igreja no pontificado de Gregório XIII, e um teto em abóbada de berço ricamente decorado em estilo renascentista. Sala da Biga Um ambiente com decoração setecentista, onde estão expostas importantes obras de estatuária, como uma monumental biga em mármore do século I, restaurada no século XVIII, e uma cópia do Discóbolo de Míron. onde se encontram outros espaços e coleções de grande importância como a Capela Sistina, as Salas de Rafael, a Galeria dos Mapas, a Galeria das Tapeçarias, a Galeria dos Candelabros e os Apartamentos Borgia.

Minha opinião: Eu não tenho palavras até agora para expressar o que é o museu do Vaticano. Desde as salas de Rafael, até o museu egípcio (com direito aos corpos das múmias) até a Capela Sistina. Meu Deus, o que é aquilo? Eu tento explicar, mas as palavras não surgem. Só quem está lá para ver o talento do imortal Michelangelo. Não tem algo que explique aquilo.

 Pantheon

pantheon

História: É o único edifício construído na época greco-romana que, actualmente, se encontra em perfeito estado de conservação. Desde que foi construído que se manteve em uso: primeiro como templo dedicado a todos os deuses do panteão romano (daí o seu nome) e, desde o século VII, como templo cristão. É famoso pela sua cúpula. O Panteão original foi construído em 27 a.C., durante a República Romana, durante o terceiro consulado de Marco Vipsânio Agripa. Efectivamente, o seu nome está inscrito sobre o pórtico do edifício. Lê-se aí: M.AGRIPPA.L.F.COS.TERTIUM.FECIT, o que significa: “Construído por Marco Agripa, filho de Lúcio, pela terceira vez cônsul”. o Panteão de Agripa foi destruído por um incêndio em 80 d.C., sendo totalmente reconstruído em 125, durante o reinado do imperador Adriano, como se pode comprovar pelas datas impressas nos tijolos que fazem parte da sua estrutura. A inscrição original, referindo-se à sua fundação por Agripa foi, então, inserida na fachada da nova construção de acordo com uma prática habitual nos projectos de reconstrução devidos a Adriano, por toda a Roma. O Panteão nasceu do seu desejo de fundar um templo dedicado a todos os deuses, num gesto ecuménico ou sincretista que abarcasse os novos povos sob a dominação do Império Romano, já que estes ou não adoravam os antigos deuses romanos ou (o que acontecia cada vez mais) adoravam-nos sob outras designações, adoptando deuses estrangeiros. O edifício, circular, tem um pórtico (também denominado pelo termo grego “pronaos”) com três filas de colunas (8 colunas na fila frontal, 16 ao todo), sob um frontão. O interior é abobadado, sob uma cúpula que apresenta alvéolos (em forma de caixotões) no interior, em direcção a um óculo que se abre para o zénite. Estes alvéolos, além de serem utilizados esteticamente, também foram pensados para diminuir a quantidade de concreto (betão)a ser utilizado na estrutura, tornando-a mais leve. Da base da rotunda até ao óculo vão 43 metros – a mesma medida do raio do círculo da base – o que significa que o espaço da cúpula se inscreve no interior de um cubo imaginário. Em 608, o imperador bizantino Focas ofereceu o edifício ao Papa Bonifácio IV que o consagrou, em 609, como igreja cristã dedicada a Santa Maria e Todos-os-Santos (Mártires) – nome que mantém actualmente. A sua cúpula é a maior que chegou até nós da antiguidade e foi durante muito tempo a maior de toda a Europa Ocidental, até que Brunelleschi criou a cúpula (duomo) de Florença, completada em1436. Desde o Renascimento que o Panteão é utilizado como última morada de personalidades italianas ilustres, como os pintores Rafael e Annibale Carracci , o arquitecto Baldassare Peruzzi, além de dois reis de Itália: Vítor Emanuel II e Humberto I. A mulher de Humberto I, Margarida I, também foi aí sepultada.

Minha opinião: É muuuuito legal! Foi um dos lugares que eu mais quis conhecer, e não sei porque. O mais gostoso de ir até o Pantheon é o percurso: Varias ruazinhas fofas com comércio local que vale a pena uma olhadinha.

 

 Catello Sant’Angelo

sant angello

História: A sua primitiva estrutura foi iniciada em 135 pelo imperador Adriano como um mausoléu pessoal e familiar (Tumbas de Adriano), vindo a ser concluído por Antonino Pio em 139. O monumento, em travertino, era adornado por umaquadriga em bronze, conduzida por Adriano.Em pouco tempo, entretanto, a sua função foi alterada, sendo utilizado como edifício militar. Nessa qualidade, passou a integrar a Muralha Aureliana em 403. A sua actual designação remonta a 590, durante uma grande epidemia de peste que assolou Roma. Na ocasião, o Papa Gregório I afirmou ter visto o Arcanjo São Miguel sobre o topo do castelo, que embainhava a sua espada, indicando o fim da epidemia. Para celebrar essa aparição, uma estátua de um anjo coroa o edifício: inicialmente um mármore de Raffaello da Montelupo, e desde 1753, um bronze de Pierre van Verschaffelt sobre um esboço Gian Lorenzo Bernini.Durante a época medieval esta foi a mais importante das fortalezas pertencentes aos Papas. Serviu também como prisão para muitos patriotas, na época dos movimentos de unificação da Itália ocorridos no século XIX. De seu terraço superior, tem-se uma magnífica vista do rio Tibre, dos prédios da cidade e até mesmo do domo superior da Basílica de São Pedro.

Minha opinião: Para mim é uma das melhores vistas da Itália. Eu conheci o castelo a noite, vendo a basílica de São Pedro toda iluminada, enquanto os turistas andavam aos montes perto do coliseu. Então, minha dica é: Visite-o a noite.

 Terme Di Caracalla

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 História: As Termas de Caracala foram construídas entre 212 e 217, durante o governo do imperador romano Caracala, e são um perfeito exemplo das grandes termas imperiais. Grande parte de sua estrutura ainda se encontra conservada, sem a interferência de edifícios modernos. Polêmio Sílvio, no século V, citava-as como uma das sete maravilhas de Roma, famosas pela riqueza de sua decoração e das obras que continha. O entorno das termas foi construído, após o reinado de Caracala, pelos dois últimos imperadores da dinastia dos Severos, Heliogábalo e Alexandre Severo. Vários trabalhos de restauração foram realizados nos reinados de Aureliano, Diocleciano e, após a queda do Império Romano do Ocidente, pelo rei ostrogodo Teodorico o Grande. Após a destruição dos aquedutos realizada por outro rei godo, Vitige, em 537, durante as Guerras Góticas com o imperador do Oriente Justiniano, que buscava recuperar a Itália para o Império Romano do Oriente, as termas cessaram de funcionar. As Termas de Caracala podiam acolher mais de 1.500 pessoas num edifício que media 337 por 328 metros, sendo somente a parte central de 220 por 114 metros. Banhos de Caracala,1899,Lawrence Alma-Tadema Uma reconstrução (gravura) de 1891. O recinto externo era constituído por um pórtico, do qual se conservam poucos restos. Aos fundos existia uma exedra (espaço semicircular coberto) em formato de escalina que escondia as enormes cisternas, que tinham capacidade de 80.000 litros d’água. Aos lados havia duas salas em ábside que abrigavam bibliotecas. Um passeio elevado contornava internamente o recinto, sendo provavelmente em forma de pórtico. Na atualidade, as Termas de Caracala são cenário para grandes manifestações artísticas, como o concerto dos Três Tenores (Pavarotti, Domingo e Carreras) na Copa do Mundo de 1990.

Minha opinião: É uma daquelas construções para deixar boquiaberto e pensar: Como é que eles conseguiram fazer isso?

 Piazza Navona

Piazza Navona

História: Sua forma assemelha-se à dos antigos estádios da Roma Antiga, seguindo a planificação do Estádio de Domiciano. Albergaria até 20 mil espectadores sentados nas bancadas. A origem do nome deve-se ao nome pomposo que lhe foi dado ao tempo do Imperador Domiciano (imperador entre 81-96 d.c.): “Circo Agonístico” (do étimo grego Agonia, que significa precisamente – exercício, luta, combate). A Navona passou de fato a caracterizar-se como praça nos últimos anos do século XV, quando o mercado da cidade foi transferido do Capitólio para aí. Foi remodelada para um estilo monumental por vontade do Papa Inocêncio X, da família Pamphili e é motivo de orgulho da cidade de Roma durante o período barroco. Sofreu intervenções de Gian Lorenzo Bernini (a famosa Fontana dei Quattro Fiumi (Fonte dos Quatro Rios, 1651) ao centro); de Francesco Borromini e Girolamo Gainaldi (a igreja de Sant’Agnese in Agone); e de Pietro de Cortona, que pintou a galeria no Palácio Pamphilj, sede da embaixada do Brasil na Itália desde 1920. O mercado tradicional voltou a ser transferido em 1869 para o Campo de’ Fiori, embora a praça mantenha também um papel fundamental em servir de palco para espectáculos de teatro e corridas de cavalos. A partir de 1652, em todos osSábados e Domingos de Agosto, a praça tornava-se num lago para celebrar a própria família Pamphili. A praça dispõe ainda duas outras fontes esculpidas por Giacomo della Porta – a Fontana di Nettuno (1574), na área norte da praça, e a Fontana del Moro (1576), na área sul.

Minha opinião: Uma gracinha de praça, cheio de artistas, feirinhas. Você se sente meeeeesmo que está em Roma!

♥ Basílica de São Pedro

basilica de sao pedro

 História: A Basílica de São Pedro é a maior igreja do cristianismo. A Bíblia diz que um dos doze apóstolos de Jesus Cristo, Simão Pedro, assumiu a liderança do grupo após a crucificação do mestre. De acordo com esse relado, Pedro teria dado início a uma igreja quando viajou para Roma e evangelizou grande parte da população local. Entretanto Pedro também padeceu da mesma sentença de seu mestre Jesus Cristo, foi crucificado no ano 64 durante o governo do imperador Nero. Seus restos mortais foram enterrados na Colina do Vaticano e seu túmulo recebeu a simples marcação de uma pedra vermelha. Anos se passaram e o local marcado como túmulo de Pedro foi alterado com a construção de um santuário. Somente trezentos anos depois de sua morte que foi construída na área correspondente ao seu túmulo a Basílica de São Pedro. A construção foi ordenada pelo imperador Constantino e manteve-se de pé até o início do século XVI. Nada dessa basílica original sobrou para os dias atuais, mas ela foi reconstruída através de informações encontradas em fontes arqueológicas e desenhos antigos. O edifício atual foi consagrado pelo papa Urbano VIII. A basílica original construída por ordem de Constantino começou a perder seu valor ainda durante a Idade Média em função do exílio dos papas em Avignon. Já no século XVI, o papa Júlio II decidiu pela derrubada da antiga igreja e a construção de uma nova basílica. Entre os arquitetos que participaram da nova Basílica de São Pedro estiveram nomes famosos como Rafael e Michelangelo. A construção levou aproximadamente 150 anos para ficar pronta e resultar no edifício que conhecemos. Após terminada, ainda assim, foram necessários alguns reparos e, um século depois, ainda acrescentou-se uma sacristia na época do papa Pio VI, o que demarcou oficialmente o fim das obras. Na década de 1950, intensificaram-se as escavações na região da Basílica de São Pedro. Os pesquisadores retiraram terra utilizada na terraplanagem feita em função da construção original ordenada por Constantino e encontraram uma necrópole e fragmentos de ossos. Assim, ficou provado que São Pedro estava enterrado sob o altar da basílica. Pedro é também considerado o primeiro papa e, por esta razão, muito papas têm sido enterrados na Basílica de São Pedro também. A Basílica de São Pedro é um dos locais mais visitados do cristianismo. Possui área de 23 mil metros quadrados e é capaz de receber mais de 60 mil devotos. Localizada na Praça de São Pedro, que fica no Vaticano, a basílica é o edifício mais proeminente do local e conta com 340 estátuas que servem de adorno. É acompanhada de mais três basílicas patriarcais em Roma, que são: Basílica de São João de Latrão, Santa Maria Maior e São Paulo Extramuros. Embora a maioria das cerimônias papais sejam realizadas na Basílica de São Pedro, ela não é a catedral. A verdadeira sede oficial do papado é a Basílica de São João de Latrão.

 Minha opinião: Você só estará pisando na maior igreja do mundo. Ela é linda, e lá dizem que está enterrado o corpo de Pedro, apostolo de Jesus. Então, para quem é Cristão, imagine a emoção? É de ficar arrepiado. O coração do Vaticano, independente da sua religião, é um lugar para sairmos abençoados e descarregados de coisas ruins.


 ➪ Sobre a culinária

capa comida

Prepare para encher a pança. Você está na Itália. Então goodibai dietinha, e hello quilinhos extras: valeu a pena engordar um pouco (ê ê).

 ♥ Antico Caffé Greco

SONY DSCÉ m dos mais tradicionais e antigos, foi fundado em 1760. Tem sido por muito tempo, e em parte ainda é, um local de encontro para intelectuais.Figuras históricas, incluindo Stendhal , Goethe , Thorvaldsen Bertel , Mariano Fortuny , Byron ,Franz Liszt , Keats , Henrik Ibsen , Hans Christian Andersen , Felix Mendelssohn e María Zambrano frequentaram o café.Via Condotti, 84

 Ristorante Maccheroni

Ristorante Maccheroni

Restaurante demais! O diferencial dele é que a cozinha é toda de vidro, o que dá uma credibilidade, porque né! A comida é muito bem temperada, e todos os macarrões são deliciosos, assim como a massa. Não lembro o que eu comi, mas pedimos a especialidade da casa. Piazza delle Copelle, 44

 Gusto

Gusto

Melhor Pizza de Roma, na minha humilde opinião. Piazza Augusto Imperatore, 9

 Gelateria Giolitti

Gelateria Giolitti

É um consenso que essa sorveteria é uma delicia. Apesar dos atendentes serem uns grossos, os sorvetes são de comer ajoelhado. Os cones da casquinha são recheados com chocolate dentro. Via Uffici del Vicario 40

 Bar Del Fico

Bar Del Fico

É um barzinho super diferente com pegada de jantar… Super tudo! Piazza Del Fico, 26

 
 

➪ Sobre as compras

compras

Acabei não comprando NADA em Roma, porque acho um desperdício perder de conhecer tantos monumentos e museus para sair comprando em lojas que tem na Europa inteira. Então, caso você for conhecer outro país na viagem, sugiro que compre lá… A Itália é muito história para ser desperdiçada, além de ser um país caro. Mããs, antes de viajar eu já tinha feito os resumos das lojas, então, aqui está:

  Coin Negozi

Bar Del Fico

Via Cola di Rienzo, 173

 La Rinascente

La Rinascente

Piazza Fiume, 5.

Rua Via del Corso

Rua Via del Corso

Apesar de ser uma rua de grifes, no centro há várias lojas com preços razoáveis.

 

E ai, estão gostando de saber um pouco mais sobre os lugares que eu conheci? Semana que vem é Florença, o berço do renascentismo… E ah, para quem ficou curiosa, as fotos tiradas por mim saem no blog na quarta.

Pensamentos Textos

No meio de tudo

15 de Fevereiro de 2013

'1'

Ando por ai, e no meio do percurso me deparo com uma barreira maior que eu poderia imaginar: Eu mesma. No meio de tudo, justo no meio. No meio de tudo, ou de nada. Não sei dizer. Não tenho pessimismo suficiente para jogar tudo para o alto e desistir, e nem um pingo de otimismo para me ajudar a dar mais um passo. Fico lá. Parada. Sentindo talvez angústia, desespero. Ou talvez a chance de parar por um pouco. Esperando alguns minutos (ou horas, ou dias, ou meses) por uma ajuda que ainda não apareceu, que ainda não estendeu a mão. E em meio a esse tempo de espera um sentimento de alívio surge pela pausa nos pensamentos, justo aqueles que alimentaram meus sonhos mais fantasiosos, minhas razões mais plausíveis, e vontades mais intensas. Pensamentos esses ritmados em uma orquestra monstruosa e descoordenada de pensamentos bombardados pela razão de tudo: O coração.

Textos

Castanho-claro-quase-verde

30 de dezembro de 2012

Imagem

Quando eu me perco no abismo dos meus pensamentos, sentimentos e dúvidas, eu miro bem no fundo dos seus olhos. O castanho-claro-quase-verde que me salva em meio o furacão de incógnitas me faz esquecer por horas as incertezas mais profundas aqui dentro da minha cabeça.

O poder – ou magnetismo – da paz que você transmite não consigo em nenhum outro lugar. Nem na maior dose de tequila do bar, nem no abraço das minhas amigas, nem horas ouvindo minha banda favorita. Só com você. Seu abraço, seu beijo, seu corpo, seu amor.

Consigo imaginar você do meu lado sempre. Dormindo de conchinha enquanto o mundo desaba janela a fora e nosso pedacinho de paz cria uma muralha em volta de qualquer energia negativa. Consigo imaginar, fechando meus olhos, a sua respiração calma e mansa do seu sono do meu lado, e sorrio discretamente agradecendo por ter você.