Textos

O poder do foda-se

19 de outubro de 2013

o poder do foda-se

Peço perdão a palavra de baixo calão. Mas modifico e credito a Derci Gonçalves uma frase que define bem minhas desculpas não ressentidas: As vezes só um palavrão resolve.

Foda-se é muito mais que um palavrão. Foda-se é uma filosofia de vida. Não levado ao pé da letra no sentido do mais baixo calão que a própria palavra tem (entendedores entenderão), mas no contexto de não ligar.

Vendo umas fotos antigas, percebi o quão mais feliz eu era quando era no auge do meus quinze anos: Usava shorts sem me preocupar com celulite, usava regada sem me preocupar com braço, penteava meu cabelo e saia feliz. Minha estima era e melhor e eu mais desencanada. Era mais fútil. Me preocupava com popularidade. Mas era menos desencanada com meu corpo.

O tempo passou, ganhei um celular com acesso a internet e puts: Baixei o Instagram. Blogueiras entiquedas e travestidas com marcas que são mais caras que os salários do meu pai (Uma bolsa Birken, da grife Hermès, custa – pasmem – vinte e um mil, e acreditem se quiser: você tem que ser “convidado” a comprar). Com ela reacendeu meu consumismo e confesso que o desejo do corpo e do closet.

Comecei a ficar mais exigente. Me preocupar mais com cabelo. Perna. Bunda. Braço. Barriga. Pele. Sobrancelha. Unha. Tudo. Exagerei na dose e nessa fase ficava dias sem comer para ter o “corpo ideal”. Nem preciso falar as consequências né? Gastrite, dor de cabeça, mal humor e cansaço.

Não acho vaidade seja ruim. Tudo tem limite e só descobri o meu um ano atrás, quando criei o blog. Nessa fase de auto-conhecimento me descobri e comecei a focar em mim. Internamente. Defini minhas prioridades, princípios, o que eu acho certo e o que eu acho errado. Parece óbvio, mas estipular isso foi fundamental para meu amadurecimento… Não que eu seja uma estátua e nunca mude de opinião. Mas os fundamentos quase sempre são fixos.

Com valores formados, agora mesmo, olhando as fotos antigas percebi o quão eu preciso “ligar o foda-se”. Me preocupar menos com detalhes e focar em usar o que eu gosto, vestir o que eu quero sem me estressar tanto ou ficar encanada. Cuidar do corpo é ótimo, faço exercício quatro vezes por semana para ter o corpo que eu quero, mas até lá vou me privar de tudo por não ter um corpo perfeito?

Não. E foda-se.

Comentar via Facebook

Comentário(s)

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply